Mudança de regime previdenciário


#1

Prezados servidores, o governo federal abriu até junho deste ano a possibilidade de mudar de regime previdenciário. Como entrei em 2010 tenho pesquisado a respeito dado que há grande posssibilidade de aumentar a contribuição no futuro já vai pra 14% porém o céu é o limite para o governo.
Vamos debater se esse possibilidade é viável e suas desvantagens.


#2

Também tenho interesse nessa discussão.


#3

Também tenho interesse. Estou na mesma situaçao.


#4

Eu vou fazer 38 anos neste ano, sou servidor público há 12 anos, sendo quase 8 na carreira atual e uns 10 anos contribuindo com 1 SM no RGPS antes do serviço público. Atualmente, contribuo para o RPPS - são descontados 11% do meu bruto para minha previdência, que o Temer queria transformar em 14%.

Estou pensando em mudar para o RGPS e contribuir só até o teto da Previdência e, a diferença ,fazer investimentos que rendam mais e fazer um seguro de vida. Líquido, sobrariam uns mil reais a mais na minha conta. Eu seria classificado como Contribuinte Alternativo. O que vcs acham? Será que vale a pena?


#5

Sou servidor público desde 2011, também pagava 11% sobre a remuneração (RPPS). Em 2015, migrei para o RGPS, sem aderir, por enquanto, ao FUNPRESP. No meu ambiente de trabalho mais dois ou três colegas também migraram. Vale a pena? Matematicamente, vale sim. Contudo, existe algumas ponderações a serem feitas (acidente, morte). Essa decisão é muito subjetiva, pois envolve vários fatores, como disciplina, patrimônio conquistado, família (qual a idade dos filhos, se o cônjuge também servidor). Tenho um colega que saiu e fez um seguro privado, até que possa adquirir as carências do FUNPRESP. Em suma, é uma análise bastante pessoal. Eu, particularmente, invisto em TD. Não penso em esperar a aposentadoria do Governo.


#6

Só para constar: em 2015, chamavam-se de louco por considerar essa opção. rs


#7

Minha situação é bem parecida com a sua. Contribuí poucos anos no Regime Geral, antes de entrar para o serviço público, onde estou desde 2006 e hoje estou com 43 anos. Estou seriamente pensando em mudar.
Seria uma boa se o Eduardinho fizesse um vídeo no canal para analisar esta questão.


#8

Pessoal, isso tem me tomado bastante tempo de reflexão. Vejam o que concluí:

  1. acho besteira mudar de regime e não contribuir com a FUNSPREV, porque você tem a contrapartida de 100% da União, nenhum investimento terá tal retorno.
  2. pode ser que haja fraudes que depreciem o fundo, mas duvido em montante que anule o benefício da contrapartida;
  3. a FUNPRESP tem cobertura pra sinistro;
  4. após 24 anos de contribuição vc pode sacar, de uma vez só, tudo que contribuiu e 90 % daquilo que a União colocou. Isso foi o que achei mais legal, pq aí vc pega a grana e decide o que fazer, ao invés do retorno picado e sujeito a ingerência estatal;
  5. vc tem benefício fiscal por ser um PGBL;
  6. quando se aposentar vc não tem que ficar contribuindo para a previdência;
  7. acredito que a maioria tenha entrado depois de 2003, ou seja, regra dos 80% maiores contribuições. Nesse caso pensem só, estamos sob a edge do teto dos gastos com os próximos dez anos de salários congelados e sabe-se lá quantos mais pra conseguir um reajuste depois disso. Bem se vc ficar dez anos ganhando mal isso vai impactar diretamente na aposentadoria, pois terá grande peso no cálculo do benefício, então possivelmente o montante do fundo será maior que aquilo atingido com essa regra
    Contudo, também não migrei, pq estou buscando mais informações, perguntei algum tempo atrás pro @eduardinho o que ele achava. De pronto disse que o sistema de previdência contributivo já era, pq estamos bancando a aposentadoria dos nossos pais, mas não teremos que banqueta a nossa.
    Enfim, diante disso tudo acho que migrar é um grande negócio
    O que acham?

#9

Bom dia a todos, estou pensando nisso a mais ou menos um ano e tenho cada vez mais certeza do que vou fazer. Como já contribua a uns 8 anos com o regime geral tenho direito a uma chamado “benefício especial” que nada mais é do que a contribuição que já fiz transformada em previdência, o problema é que a legislação que rege o benefício especial é muito fraca, não temos muita segurança nisso, estou esperando esse tempo para ver se o governo cubra alguns buracos. Tem um video no youtube com o presidente da Funpresp dando uma palestra no sindicato dos auditores fiscais da receita que é muito bom.


#10

Olá.

Para quem seria Participante Ativo Alternativo - são elegíveis à adesão aqueles que tomaram
posse antes de 04/02/2013 (e 07/05/2013 para os servidores do Poder Legislativo) e quem ingressou no
serviço público após esta data, mas recebe remuneração abaixo do teto do INSS -, o Governo NÃO dará a contrapartida.


#11

@marlonbrunosalazar poderia enviar o link?


#12

#13

Acredito que até o @eduardinho esteja em dúvida, pois ainda não se manifestou.

Se pensarmos que o sistema está falido, no caso de migração, estamos colocando em risco tanto a nossa aposentadoria dentro do teto como o benefício especial.

E fazendo o Funpresp, penso que aumentamos o risco, pois as decisões dele possuem grande ingerência do governo, para tanto sugiro a parte de “pegadinhas” do site: https://educandoseubolso.blog.br/2017/10/02/funpresp-vale-pena-migrar/

Assim, tendo como pressuposto que o sistema está falido, o caminho mais “seguro” seria fazer a migração, sem adesão ao Funpresp…muitas incertezas e dúvidas ainda…


#14

Também ainda aguardo ansiosamente por um video do @eduardinho sobre a opiniao dele quanto a adesão/migração para Funpresp.
O prazo para decisão está chegando ao fim.


#15

Eu já estou 99% decidido, vou migrar, e aderira funpresp, porém vou contribuir com o mínimo, 7,5%, além disso, vou fazer o seguro de vida que a funpresp tem que é um dos melhores do mercado, além de poder deduzir no IR. O restante que contribuo hoje a mais que com a migração vou acrescentar em um plano de previdência privada para aproveitar as deduções de IR. Mas claro, venho a pelo menos 4 anos utilizando o método de investimento em título publico que o eduardinho vem ensinando.


#16

Também estou inclinado a migrar, sou servidor Fedral desde 10/04/2008, ou seja, já estou contribuindo sobre o total da minha remuneração há dez anos e três meses. Devo aderir ao RPC sem me filiar à FUNPRESP, em razão de minha desconfiança na competência do governo para gerir esse fundo.
Alguém mais já aderiu.


#17

#18