Renda Extra: Brainstorm de Ideias de negócios


#1

Discuta aqui ideias de geração de renda extra que sejam inovadoras ou que sejam práticas.

** Dica: se a ideia for velha conhecida, como artesanato, agregue valor ao seu comentário, dizendo uma nova forma de abordar o tema. Evite dizer algo que todos já saibam.

** Atenção: Sem Spam, quem postar link afiliado ou FR Promotora e cia. será banido, ok?

Favor manter o debate civilizado. O critério é sempre o do bom senso: a ideia é contribuir de verdade para eu e os outros gerarem renda, ou vim aqui em busca de tirar vantagem do fórum?


Ganhar dinheiro na internet funciona ou é balela tipo pirâmide?
Ganhar dinheiro na internet funciona ou é balela tipo pirâmide?
#2

Aqui vão algumas ideias comuns (essas não são inovadoras, é só para iniciar o debate):

1 Criar blogs / Escrever artigos, transcrições, etc. / Anunciar em mídias sociais
2 Cuidador de cães (pets em geral) / alimentação / artigos para pets
3 Comprar e vender coisas (usadas ou novas) / Abrir loja no Mercado Livre
4 Artesanato (Elo7 e companhia)
5 Consultoria e coach
6 Fotografia (tirar fotos de casamentos e eventos)
7 Fabricação de bijuterias
8 Florais, sabões, loções com plantas típicas
9 Manutenção de computadores
10 Webdesign e desenvolvimento web
11 Babá
12 Massagens e terapias não-convencionais
13 Decoração de ambientes, paisagismo
14 Organização de festas, negócio de presentes personalizados
15 Aluguel de quartos ou de sua casa no Airbnb
16 Motorista do Uber
17 Guia de turismo de aventura
18 Locação de equipamentos para turismo de aventura (roupas, acessórios, bikes, quadriciclos, etc.)


#3

Estou tentando ganhar autoridade no youtube para vender cursos de matemática. Por enquanto estou na fase de autoridade. Creio que se der tudo certo, conseguirei uma renda significativa com a minha expertise.


#4

Olá Renato, que bom vê-lo aqui.
Eu sou newbie em Youtube, meu canal tem pouco mais de 5 mil pessoas… Mas também estou querendo descobrir o segredo dessa ferramenta.
Dicas que me deram e estou implementando. Já percebi diferença no número de inscritos, embora ainda baixo se comparado com os outros canais:

  1. Estabeleça uma agenda e poste ao menos 1 vídeo semanalmente (sempre no mesmo dia e horário, para as pessoas esperarem seu vídeo.
  2. No fim de (ou durante cada) vídeo, peça às pessoas que se inscrevam (e curtam)
  3. Adicione legendas aos vídeos (nós começamos agora, estamos usando o Amara, um sistema online gratuito). Dizem que isso (ter legenda) faz ajudar na posição do vídeo no youtube.
  4. Procure falar sobre temas que o seu público procura ativamente (quais palavras eles procuram?)

Acho que é um começo.
Grande abraço!


#5

Uma ideia muito comum no Brasil e que dá muito dinheiro é “importar” ideias.

Você vê o que está dando certo no exterior e transplanta para o Brasil, traduzindo para o português.

Deu certo com uma consultoria de investimentos, deu certo quando se trouxe o Fórmula de Lançamento para o Brasil (com todos os méritos de quem trouxe a ideia! O cara realmente é um empreendedor nato), deu certo centenas ou milhares de vezes.

A maioria dos sites e apps bem sucedidos nasceu assim: vendo um site similar no exterior e perguntando “por que não fazer isso no Brasil?”

Uma fonte de ideias seria acompanhar sites como


E sites simlares, de onde buscar ideias… Fica a dica


#6

Muito interessante @eduardinho! Já tinha observado sim que muito do que está fazendo sucesso atualmente foi “tropicalizado” para o Brasil, inclusive alguns deles falam que dominar o inglês e beber diretamente da fonte lá fora é como ter uma bola de cristal de uns 2~3 anos a frente…
Acredito que para dar certo não basta importar a ideia, é um primeiro (grande) passo, mas tem muito trabalho a ser feito (alguns já estão com a veia empreendedora pulsando, outros com coragem e disposição para embarcar na ideia de cabeça, e por aí vai…)


#7

Eduardinho, você tem alguma dica sobre Crowdfunding no Brasil?


#8

Oi André, ontem eu publiquei um vídeo sobre o Biva. Mas não me atraiu por enquanto.
O crowdfunding societário também está engatinhando, sem opções.
Tem também o imobiliário, tipo o Urbe. Esse é o modelo que acho mais promissor.
Para falar a verdade, eu tentei comprar uma fatia do Urbe, mas os sócios disseram que já receberam várias propostas e estão fechados a isso.
Então, já abrindo o jogo aqui, estou sondando potenciais parceiros para lançar um concorrente ao Urbe.
Acho que há mercado para mais de um player no setor e há também operações que o Urbe não faz e que poderíamos inovar oferecendo.
Abraço.


#9

Olá Pacheco.

Com certeza, a ideia não é tudo. Ideias milionárias morrem todos os dias por má execução ou pela falta dela.
Respondi ao André, abaixo, uma ideia que tenho (e não é de hoje, tem mais ou menos um ano) e que pouco movi até o momento.
É muito difícil organizar recursos.

Por isso quem tem maiores chances de lançar startups e ficar rico hoje em dia são os jovens. Porque têm o recurso tempo infinito.
Como assim? Adultos, com ocupações e família não têm tempo para dedicar de cabeça em projetos sem certeza da viabilidade.
Já os estudantes podem formar grupos de 5 ou 10 e lançar negócios desde o início, dedicando-se em tempo integral a eles. No mundo empresarial, um projeto de 3 meses envolvendo 5 a 10 pessoas necessita recursos na faixa de 200 mil. Um ano de um projeto assim, passa facilmente de 500 mil reais.
Essa é a grande vantagem dos estudantes: tempo.
Se eu não tivesse um milhão de tarefas, estaria sentado desenvolvendo algum dos apps que já imaginei, nem que fosse sozinho. Mas isso não tem como ocorrer no “mundo real” dos adultos.
Grande abraço!


#10

@eduardinho estava pensando em uma estratégia de venda do imóvel onde moro atualmente para aplicar o recurso e com o retorno obtido pagar aluguel.
Pelas minhas contas acredito que consigo pagar o aluguel e ainda sobraria um saldo para ser re-aplicado. Acha uma boa estratégia?
Condominio atual - 1.000,00
Valor do imóvel - 600.000,00
Aluguel imóvel (pacote completo) - 2.800,00
Rentabilidade liquida da minha carteira atual - 9% a.a.


#11

Oi amigo, desculpe mas o momento não é de vender imóveis, mas comprar. Muito cuidado com uns zés no YouTube falando que não vale a pena comprar imóveis… Vou gravar um vídeo sobre isso. Grande abraço.


#12

Só complementando @fao55564 o problema é o seu condomínio. Quem paga condomínio de mil reais paga aluguel e não sabe. No seu caso, talvez a melhor opção seja alugar seu imóvel e viver em outro, alugado, com condomínio menor. Ou, caso venda seu imóvel, adquirir outro. Abs.


#13

Eduardinho,

O que acha de negócios off line, tipo um franquias, representações e etc? Você recomendaria alguma interessante para ser instalado em uma cidade de aproximadamento 50.000 habitantes.


#14

@pedro0986 movi seu post para esse tópico, ok? Como ele não é online, não cabe no outro…

Oi Pedro, tudo bem?
O problema das franquias, e uma época eu andei estudando várias, pedi a Circular de Oferta de Franquia de algumas, visitei unidades em operação, pelo menos duas delas me abriram a contabilidade… mas então, o problema delas é que, ÀS VEZES, NÃO É SEMPRE, a taxa de franquia pode estrangular o negócio.
Uma franquia que visitei, de escola de cabeleireiro, o cara me abriu a contabilidade. Tinha 3 anos de operação e estava operando com lucro zero. Isso mesmo. Foram 2 anos de prejuízo e o 3º ano ele estava feliz porque estava zerado.
Porém, você pensa: é a fase em que o negócio está se consolidando… depois daria lucro… etc.
Mas não sei… nem eu (e nem ele, dava para sentir) via mais chances de o faturamento subir.
A última tacada dele era mudar para um ponto comercial mais barato e tentar manter o faturamento, essa era a ÚNICA esperança que ele ainda tinha de o negócio dar certo.
Além disso, tem várias franquias por aí que “brotaram” no boom das franquias, de modelos de negócios que sequer consolidados são. Criaram-se fábricas de franquias: o cara senta, cria uma logomarca, um roteiro básico de fazer as coisas ou de fornecedores, abre uma lojinha e já sai vendendo a franquia.
Cuidado com essas.

Franquia, para valer a pena, precisa de ao menos um dos três:

  • modelo de negócios único
  • know-how (ou:)
  • marca forte

A marca forte, conhecida nacionalmente, tipo Boticário, atrai por si só os clientes. O que você paga de taxa de franquia, nem se você gastasse em publicidade geraria tantos clientes. O problema é que toda bimboca já tem Boticário. Se você descobrir uma bimboca sem Boticário, aí pode valer a pena.
Enfim, pode procurar franquia, mas NUNCA entre em uma sem antes conversar com 2 ou 3 franqueados de outras regiões. Peça uma lista, se não derem, é mal sinal…

Abs


#15

Como eu disse nesse vídeo, uma das maneiras de ter boas ideias é ter uma por semana:

Nessa semana eu fiquei com vontade de abrir uma Escola de Mergulho em Lavras/MG ou na região (sul de Minas).
Não há escola de mergulho por essas bandas e uma amiga minha teve que se deslocar a BH para fazer um curso de 1 semana.
Lavras tem a UFLA, com 17 mil alunos, o que é um baita público potencial.
O problema, para saber a viabilidade, seria pesquisar o poder aquisitivo desses alunos. Pois há o mito do universitário “quebrado”, mas eu nunca soube se isso é verdade, ou não (pois os pais podem não ser).
Além disso, em cidade universitária (em Lavras mesmo, como exemplo), embora sejam cidades cheias de quitinetes para alugar, não há um imóvel do tipo que seja temático de aventura.
Como assim? Um imóvel com térreo com lojas de aventura (por exemplo: escola de mergulho, casa de sucos/lanches, loja de equipamentos de trekking, etc.) e em cima as quitinetes (as que não estiverem locadas podem entrar no esquema de hostel).
Em termos de visual/estilo, pensei no Che Lagarto (franquia de hostels bem conhecida).

Bom, essa foi a ideia da semana.
Qual foi a sua ideia nessa semana?


#16

Show de bola! Muito bom saber sobre esse seu ponto de vista e agora me sinto mais capaz de estudar esse tipo cenário. Tenho o sonho de abrir um negócio pra mim e estou avaliando muitas situações sem ter que dar um aporte tão grande.


#17

Obrigado pelas dicas @eduardinho! Realmente esse condomínio de 1.000 é muito pesado. Vou pesquisar sobre aluguel na região para ver quanto conseguiria de spread e comparar com a opção de vender e comprar. Abraços e parabéns pelo trabalho!


#18

Exatamente! Tempo é um recurso escasso na vida de adulto! Hoje penso 10 vezes antes de embarcar em qualquer projeto, o tempo de dedicação é sempre a maior barreira.

Grande Abraço


#19

Essa semana pensei duas coisas relacionadas a imóveis. Uma o velho comprar algo que não está muito legal e reformar para poder vender a preço de mercado e a outra coisa seria uma uma espécie de manutenção para residências. As casas estão cada vez mais com mais sistemas (bombas, solar, monitoramento), mas o usuário comum parece estar desassistido, perdido na hora de resolver. Os contras são que o preço teria que ser bem em conta para o usuário residencial comprar a ideia (o que pressionaria a margem), tendo que crescer em volume, necessidade de mão de obra confiável e treinada para executar o serviço e por aí vai…


#20

Pachecoene, bom dia. Meu amigo, eu investiria em FIIS se fosse comprar casa para reformar.
Ano passado ganhei livre 44%, sem nenhuma dor de cabeça. E estou falando só da valorização, nem computei ai os valores recebidos na forma de aluguel das cotas. Agora com a queda da Selic talvez as cotas estejam realmente muito mais caras para quem quer entrar, o Eduardinho poderia nos orientar. Na verdade agora já estou pensando em vende-las e aguardar o novo topo Selic.
Manutenção, sempre será necessária, mas aqui no Brasil contar com a mão de obra (índole e moral) das pessoas é terreno acidentado com certeza. A não ser que você e só você for o prestador de serviços, ai sim sua demanda nunca terá fim.
Espero ter ajudado.
Um forte abraço
Marcos Sales